Os cinco pilares do associativismo

Liberdade – Democracia – Criatividade – Solidariedade – Humanismo

O associativismo só faz sentido, e, na verdade, só se afirma como essência da vida cívica de cada cidadão e da associação, quando, nas práticas quotidianas, procura desenvolver-se tendo como referência cinco pilares que são o seu fundamento – Liberdade – Democracia – Criatividade – Solidariedade – Humanismo.

Traduzindo:

Liberdade é a dimensão ÉTICA do associativismo

Em primeiro a LIBERDADE – onde ganha raízes a sua essência de voluntariado, de afirmação de direitos e deveres, a crença que não há associação se ela não se forjar numa dinâmica de inclusão, de adesão, de partilha.

Uma associação nasce na Liberdade, nas vontades que se juntam para atingir objectivos.

Esta é a dimensão ÉTICA do associativismo.

Democracia dimensão CÍVICA do associativismo

Em segundo lugar a DEMOCRACIA – onde ganha raízes o debate de ideias, a valorização do pluralismo, a eleição dos dirigentes, a gestão democrática, a certeza que cada um na sua individualidade é uma força que contribui para a construção da diversidade que é associação.

Esta é a dimensão CÍVICA do associativismo.

Criatividade é a dimensão ESTÉTICA do associativismo

Em terceiro lugar a CRIATIVIDADE, onde ganha raízes o fazer associativismo, o dar força à imaginação, ao desenvolvimento de actividades desportivas, recreativas, culturais, onde a fantasia e a inovação deve ser a energia mobilizadora.

Onde sentimos o prazer de viver a associação, de criar, de recriar, e, onde partilhamos momentos enriquecedores que guardamos na memória individual e colectiva.

Uma associação sem criatividade é um fóssil que vive dos resíduos da memória e da história.

Uma associação sem criatividade não é uma agente em acção, pode ter chegado ao presente, mas, de facto, só chegará ao futuro se, de facto, se reencontrar com as energias criadoras que forjam a inovação e reconstrução.

Esta é a dimensão ESTÉTICA do associativismo.

Solidariedade a dimensão Politica do Associativismo

Em quarto lugar a SOLIDARIEDADE, onde ganha raízes a relação da associação com a comunidade na afirmação do seu papel e contributo para o desenvolvimento local, a solidariedade enquanto valor de referência da relação entre dirigentes e associados, e de relações interassociativas.

Uma associação afirma-se como agente de desenvolvimento local pela solidariedade activa.

Esta é a dimensão POLITICA do associativismo.

Humanismo a dimensão CULTURAL do Associativismo

Em quinto lugar o HUMANISMO, onde ganha raízes o viver o associativismo na sua dimensão humana, assumindo-se no viver em conjunto, e, simultaneamente, no viver a individualidade, como actos de valorização dos Direitos Humanos, de respeito pelas diferenças políticas, religiosas, étnicas.

Este é o caminho para que uma associação seja um espaço global de afirmação de um homem total – emocional e intelectual.

Esta é a dimensão CULTURAL do associativismo

Os cinco pilares da vida associativa

São estes os cinco pilares da vida associativa – LIBERDADE, DEMOCRACIA, CRIATIVIDADE, SOLIDARIEDADE, HUMANISMO.

Um associativista, ou uma associação que não tenha na sua acção colectiva e na acção individual dos seus membros, uma estratégia de dinâmica associativa, tendo por base estes cinco pilares, pode ser um agente promotor de muitas actividades, mas, sem dúvida, que deixa para trás a sua essência, os valores que dão ao associativismo uma dimensão ética (Liberdade), cívica (Democracia) estética (Criatividade), politica (Solidariedade ) e humanista ( Cultural).